Publicado por: Chinelo de Meter o Dedo | Julho 1, 2010

Por Terras de Albarracin, Aragão

Continuamos à descoberta de novas zonas de escalada, novas para nós que andamos nestas andanças não há muitos anos, pois no inicio o percurso pela montanha resumia-se às serras Portuguesas com uns percursos pedestres de um ou vários dias. A necessidade de transpor barreiras e de irmos mais além fez com que há uns anos a escalada entrasse nas nossas vidas tornando-se num vício!

A vontade de conhecer novas paisagens, pessoas e locais e a adrenalina de viajar aliada à descoberta de novos spots faz-nos ir além fronteiras e mais uma vez o destino foi o país vizinho.

Existia uma grande vontade de conhecer as escolas na proximidade de Madrid, Pedriza, Cabrera, Patones, mas com as previsões de tempo não valia a pena apostar na Cabrera ou até mesmo Pedriza, por isso fugimos à chuva (pensávamos nós) e seguimos para Patones, que fica a nordeste da capital e é uma povoação bastante rica em acidentes geográficos, acidentes que os escaladores agradecem de todo o coração!

Patones é o maior local para escalada desportiva nas proximidades de Madrid e, apesar da sua maior parede pertencer a Guadalajara, os seus principais equipadores foram madrilenos. Uma escola de calcário, com cerca de 600 vias entre os 25 e os 60 metros, com graus compreendidos entre o V grau e o oitavo grau, sendo que a grande maioria se encontra nos sextos graus. No entanto, tem um senão que é a mega afluência de escaladores nos fins-de-semana.

Patones de Cima

Época de nidificação, sinónimo de interdições em certas zonas de escalada

Depois de fazermos algumas vias e de resistirmos ao vento frio e seco a chuva acabaria por nos expulsar para o nosso destino seguinte, mas a nossa expectativa estava em alta…

A prática de bloco ou boulder não faz parte das nossas rotinas no entanto este ano condicionados por “terceiros” decidimos visitar Albarracin, uma paragem que há muito ansiávamos conhecer.

Quem visita esta zona não pode deixar de ver um local mágico e com ilimitadas possibilidades para “blocar”, blocos de rocha arenisca de cor avermelhada plantados num pinhal, ali mesmo, a pedir para serem escalados.

Arenisca, a rocha vermelha de Albarracin

O bloco ou boulder (como é internacionalmente conhecido) é uma disciplina da escalada onde se trepam rochas não muito altas e que a ajuda de vários colchões próprios (crashpads) facilitam as quedas. No fundo não existe tanto o risco da queda nem o factor psicológico mas existe uma maior exigência técnica e física.

Depois de darmos uma volta pela serra para termos uma visão geral da paisagem envolvente, que podemos dizer sem sombra de dúvida que é deslumbrante, lá fomos nós à procura dos sectores, dos blocos, da tão famosa rocha vermelha. E não foi difícil dar com estas visões pré-históricas: destacam-se por entre a vegetação verde, estes blocos vermelhos, pintalgados de magnésio ocasionalmente quebrado por rochas com as famosas pinturas rupestres.

À procura das pinturas ruprestes (ou não)

Carro estacionado, crashpad às costas e lá fomos nós, sorriso de orelha a orelha, a adrenalina a correr, como miúdos que vão para um parque de diversões, já a anteciparmos o que nos esperava, apenas pela visão daquela rocha estranha, diferente de tudo o que já tínhamos visto ou posto as mãos em.

Ok. Estou a ver blocos com magnésio. Deve ser algum sector.
Ah… Isto tem tão bom aspecto!!

Não foi preciso muito tempo para o crash ser colocado estrategicamente, os pés de gato calçados e as mãos tocarem aquela rocha porosa, bem aderente, fantástica.

Blocos para todos os gostos! (6b de bloco)

Tantas as possibilidades! (7a de bloco)

Rapidamente percebemos que os escaladores que estavam ali ao nosso lado eram tugas e, como tugas que somos, a camaradagem, troca de opiniões, recomendações e incentivos não demoraram.

O companheiro tuga e mais um colega alemão (7a)

Querem tectos, aqui têm tectos!

Acho que os nossos olhos deviam brilhar como crianças enfeitiçadas, brilhavam quanto mais os nossos dedos iam ficando sem pele. Ora bem, “nossos” como quem diz, porque eu apenas podia sonhar com a ideia de me pendurar naquela rocha tão peculiar. Outras oportunidades virão.

O alemão num duro bloco (7a apenas?)

Ambiente fanático, ainda que com chuva escala-se sempre!

A gastar os últimos cartuxos (ou a restante pele dos dedos)

Albarracin (Aragão, Espanha) é a entrada para a Serra de Albarracin, serra incluída na Reserva Nacional dos Montes Universais, zona montanhosa, quase inacessível, onde nascem vários rios, incluindo o nosso Tejo. É uma cidade medieval, rodeada por uma série de muralhas defensivas que culminam no castelo de Andador e que conta com vários monumentos, mansões senhoriais e verdes prados. Por isso, há muito que visitar nos dias em que queremos deixar a pele dos dedos regenerar e os músculos repousar.
Este local pintado de rocha arenisca vermelha, que em tempos foi ocupado pelo Homem Pré-Histórico (ainda se podem ver pinturas rupestres), é uma zona protegida desde 1995.

A envolvência da vila

As típicas ruas de coloração vermelha de Albarracín

Albarracin é muito popular entre os escaladores espanhóis e tem a reputação de ser o melhor local para a prática de bloco em toda a Espanha, embora muitas vezes chegue a ser descrita como o melhor local da Europa, logo depois da mítica Fontainebleau. Tal como Fontainebleau, Albarrcin tem uma quantidade imensa de blocos sólidos, bem protegidos, localizados no meio de uma floresta e paisagem deslumbrante. A variedade de problemas para escalar é interminável, desde placas de grande qualidade, arestas, tectos e fissuras… É só escolher e perder a noção do tempo de tanta diversão.

Puxador típico das casas de Albarracin

Até o facto de estar a 900m acima do nível do mar, oferece a esta região o ar frio perfeito para escalar durante todo ano, excepto no pico do verão. Actualmente, o livro E Bloc – the Spanish Bouldering Guidebook descreve mais de 700 problemas de bloco espalhados por 13 principais áreas de bloco de Albarracin.

Apesar do frio e de alguns aguaceiros, as possibilidades são tantas, que há sempre um sítio seco onde escalar. O bichinho mordeu e ficou a vontade de lá voltar, pela rocha, pelas paisagens, pela vila, pelo ambiente fanático…. Porque é Albarracin!

Prometemos voltar a Albarracin

Mais informação
http://www.albarracin.org/
http://www.campingalbarracin.com/
http://www.enlavertical.com/escuelas/view/31

Croquis
http://www.scribd.com/doc/27998/Crokis-albarracin
http://www.boulderalbarracin.com/

E Bloc – the Spanish Bouldering Guidebook

Guia de Escalada Patones e Alrededores


Responses

  1. Que sítio fantástico!

    Que vontade de meter a tralha no carro, e pirar-me já!😉

  2. E como é bom passear… As fotografias da escalada estão espectaculares.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: